Home / Artigos / Abandono animal: triste realidade da vida dos cães de Rua de Picos

Abandono animal: triste realidade da vida dos cães de Rua de Picos

    Grupo de cães abandonados no centro de Picos. Por Paloma Sene

Os cães são os melhores amigos do homem, mas será que o homem é mesmo amigo do animal? Alguns tratam os animais como simples coisas, mas não podemos generalizar. O abandono de animais é uma cena constante nas ruas da cidade de Picos, é triste ver o descaso por parte da sociedade com esses seres.

Infelizmente muitos desses abandonos vêm decorrentes de o dono não ter mais como arcar com as despesas dos animais ou, simplesmente, pelo fato da espécie ficar doente e as pessoas acabam ficando com medo e descartando o animal como se fosse lixo.

Os pets, principalmente os que não possuem raça definida, conhecidos “vira-latas”, são jogados nas ruas e ficam completamente abandonados apenas por não possuírem Pedigree e por isso sofrem grandes preconceitos e são até agredidos pelas pessoas. Vale destacar que maus tratos aos animais também é crime.

Adote um animal de rua. Fonte: Paloma Sene

Há pessoas que se sensibilizam com os animais como o presidente da Associação APAPI – Amigos Protetores dos Animais de Picos, que reúnem voluntários por todo o município, Felipe Lima Coelho, de 33 anos, é o presidente da APAPI e nos relata como funciona, “A gente faz ações individuais, se uma pessoa ou outra liga e eu puder ir eu vou, a gente oferta campanha de doações, para tentar minimizar a situação, se a pessoa for voluntária de ficar com animal até acharmos um lar, ate alguém querer adotar o animal a gente oferta para o tratamento veterinário, baixo custo nos medicamentos e esse é o suporte que podemos dar, com pessoa que estão conosco nesta luta”, disse o presidente.

A APAPI iniciou em janeiro de 2015, através de campanhas individuais e foi se transformando em grupo. “As campanhas eram de adoção, cada um com seus problemas na porta da sua casa, com isso foi se jogando na internet para saber quem queria adotar esses animais”, declara Felipe Lima. Os voluntários podem se cadastrar, possuem uma ficha de cadastro onde futuramente ele recebe a carteirinha e com essa carteirinha obtém desconto em locais que possuem parceria, sendo no valor de dez reais mensais, para custeamento dos remédios e os atendimentos destes animais.

Ração colocada por moradores, para esses cães. Fonte: Paloma Sene

Assim como os voluntários da associação a aposentada Dona Maria das Graças, de 68 anos, é apaixonada por animais e se sente sensibilizada com essa realidade. “Como a gente, esses animais precisam comer, beber, tomar um banho, por isso sempre que posso eu deixo um pouquinho de comida e até mesmo ração na calçada, pois é muito triste vê-los com fome”, afirma a aposentada.

O papel das ONGs é fundamental para ajudar nesse trabalho. As ONGs passam a ser a única esperança de vida dos animais abandonados pelas ruas. Em Picos, vem sendo realizado trabalhos voluntários e tem salvado vidas e dando lar a vários animais abandonados distribuídos pelas ruas.

Filhote que perdeu um olho por maus tratos. Fonte: APAPI

A situação destes animais é mesmo de se cortar o coração, pois além de serem abandonados eles são maltratados, alguns deles são encontrados em estado crítico, com feridas espalhadas pelo corpo, doenças graves e sem vacinas.

Felipe fala que “É mais fácil levar os remédios ate os animais do que levamos o animal ate o veterinário, pois o bicho nunca me viu, então ele não possui intimidade comigo, para ficar manso para que eu possa pega-lo e leva-lo para traze-lo ao veterinário. Levamos remédios de verme, ração, remédio de sarna, as vezes ele estão sendo devorados por carrapatos então damos remédios para isso também, vacinas de raiva e colírios principalmente para os filhotes”.

Cadela Acidentada. Fonte: APAPI

A situação que é encontrado esses animais é totalmente crítica, é uma situação totalmente insalubre, pois os animais são encontrados mutilados, famintos, com frio, cheio de doenças, sem contar que são enxotados, eles acabam comendo lixo, parindo em locais propícios a doenças, achamos eles em uma situação implorável, sendo comidos pelas formigas, carrapatos, as vezes até com olhos estourados, pelo local ser ruim tudo se porífera na situação de abandono.

Felipe ainda diz que o descaso com esses pobres animais não é apenas regional. “Há um descaso mundial, não apenas na sociedade de Picos, mas sim no geral. Aqui a nossa realidade não é diferente e já faz quase quatro anos que estamos nesta luta. Já conseguimos aprovar uma lei e agora a parte mais difícil é tirar do papel e infelizmente a parte responsável para colocar essa parte em prática, que é a prefeitura e poder público, porém estão fazendo vista grossa a muito tempo”, relatou.

Cães de ruas. Fonte: Paloma Sene

A APAPI utiliza das redes sociais, como o Whatsapp, Instagram e Facebook, para fazerem as divulgações de adoções dos animais resgatados, como também para o recolhimento de rações e remédios para esses animais. Após a adoção é feito o acompanhamento dessas espécies, na questão da adaptação do animal no local, como também se ele esta sendo bem tratado.

Por fim Felipe diz “Não adianta empurrar com a barriga um dilema que esta visível a todos e a gente esta fingindo que não esta vendo, principalmente o poder publico, devemos ser os cidadãos que vê o problema e enfrenta-os e clama por uma solução”, finalizou.

Por: Paloma Sene e Rita Rildania

Veja Também

Professor Júnior Vianna e a paixão pela história de Oeiras

Júnior Vianna: professor e escritor oeirense  “A gente não ama aquilo que não conhece”, com estas palavras o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *