Home / Artigos / CONHEÇA AS 7 CURIOSIDADES SOBRE A CATEDRAL DE PICOS

CONHEÇA AS 7 CURIOSIDADES SOBRE A CATEDRAL DE PICOS

1 A antiga matriz dos 90 dias                 
Antes da construção da atual Catedral de Picos, existia no mesmo local, a antiga Igreja Matriz, bem menor em extensão, e que foi edificada no ano de 1871, pelo então Pe. Dr. José Antônio Maria Pereira Ibiapina, conhecido Frei Ibiapina, o apóstolo dos sertões nordestinos e pároco da cidade na época. Destaca-se que essa antiga Igreja fora construída em tempo recorde de 90 dias.
O antigo templo foi construído para abrigar a imagem de Nossa Senhora dos Remédios, trazida por um escravo negro a pé, de Salvador na Bahia até Picos, como pagamento de uma promessa feita pelo vaqueiro João das Dores para que seu filho e o filho do Coronel Victor de Barros Silva, fazendeiro que encomendou a imagem, voltassem salvos da Guerra da Balaiada (1838-1841).
Miriam Lélis, diz “em 1871, com a conclusão do templo, a imagem foi transferida em procissão da Igrejinha do Sagrado Coração de Jesus, onde ficou desde a chegada ao município de Picos, até a Igreja Matriz”, pontuou.
Com o passar dos anos, a população do município aumentou e conforme as fontes, a Igreja estava ficando pequena para a quantidade de pessoas e o prédio já estava deteriorado por causa das chuvas que caíam com mais frequência naquela época.

IMAGEM DA ANTIGA IGREJA
IMAGEM AÉREA DE PICOS

 

 

 

 

 

 

2 O início da construção: de trás pra frente
Miriam Lélis fala que na década de 1940, os padres Paulo Stanchovitz, Eriberto e Frederico, pertencentes à Ordem da Sagrada Família, planejaram a construção de uma igreja nova. O projeto era construir um novo templo com a frente para Praça Frei Ibiapina, atualmente Praça Justino Luz. Porém, devido à transferência dos padres no período o projeto não teve êxito.
Chega a Picos no ano de 1947 o padre José Ignácio de Jesus Madeira, carinhosamente chamado pelos picoenses de Padre Madeira, a pedido do então Pároco da Igreja Matriz, padre Davi Ângelo Leal, alegando que os serviços eram muitos e que necessitava de um ajudante. Nessa época a Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios, em Picos, pertencia a Diocese de Oeiras, permanecendo vinculada a esta até o ano de 1976, quando é criada a Diocese de Picos.
O padre Madeira, foi fundamental para a edificação de uma nova igreja, com o argumento de que a antiga Igreja Matriz, construída em 1871, estava pequena para suportar a capacidade de pessoas, e propõe aos católicos da cidade a construção de um novo templo, maior que o atual. As obras de edificação da nova igreja foram iniciadas no ano dia 1º de outubro de 1948.
Por causa de anseios e resistências no início da construção, a nova igreja começou a ser edificada pela parte de trás da antiga, com o intuito de que a já existente não fosse derrubada por completa de uma vez. A partir desta afirmação nota-se que a ideia era ampliar, mas com o passar dos anos foi construída uma nova igreja, embora no mesmo local, porém com dimensões e altura muito maiores.

IMAGEM TIRADA DA BEIRA RIO

3 Mão a obra: do pobre ao o rico
Após o consenso, em outubro de 1948, a população inicia a construção de uma nova igreja, que durou 20 anos para ser edificada, concluindo o processo no ano de 1968. Posteriormente o novo templo se tornou catedral ao ser dedicada a Nossa Senhora dos Remédios no dia 15 de agosto de 1976, em cerimônia que contou com a presença do Núncio Apostólico do Brasil, Dom Cármine Rocco.
“A construção da Igreja Matriz, iniciada em 1948, marcou uma nova era em Picos, já que foi a primeira edificação de tamanha altura e expressividade na cidade, diferente de qualquer prédio da cidade de Picos na época, tanto em dimensão quanto em arquitetura” (DUARTE, 1995, p. 33).

IMAGEM TIRADA NA PASSARELA

 

Percebe-se que as contribuições para a construção do templo aconteceram de várias formas. A arrecadação de recursos financeiros era feita por meio da realização de leilões, bailados, peregrinações e doações. Além deste tipo de trabalho as pessoas participavam ajudando na mão-de-obra, transportando os materiais para a construção do templo.
De Acordo com Antônio Rodrigues: “Não tinha diferença na área financeira, o pessoal da Ipueiras era o que mais participava, mas todo mundo ajudava não tinha exceção na área financeira, era o pobre e o rico, o mendigo e o filho do prefeito. Todo mundo brigava para botar os materiais para construir a Igreja, tanto que o Padre Madeira nunca pagou nada para botar material lá.”

IMAGEM TIRADA NA BR
IMAGEM TIRADA NA FEIRA

 

 

 

 

 

 

 

4 A fé e a caridade na esperança pelo dinheiro
A arrecadação de recursos financeiros era feita por meio da realização de leilões, bailados, peregrinações, doações. Além deste tipo de trabalho as pessoas participavam ajudando na mão-de-obra, transportando os materiais para a construção do templo. Sendo assim possível perceber a penetração da religião e dos líderes religiosos (padres) no cotidiano dos cidadãos picoenses, bem como a ligação e crença destes no catolicismo.
Os recursos arrecadados pelos três grupos: Esperança, (liderada pelo próprio padre Madeira), Fé (liderada pela Associação do Carmo) e Caridade, (liderada pelo Apostolado da Oração), foram investidas na compra dos altares, que vieram diretamente da Itália.
Nos domingos tinha a Missa das nove da manhã aonde normalmente o Padre Madeira pedia ao povo ajuda e auxílio a todo paroquiano da região para ajudar a construir a igreja.
Francisco Antônio destaca, “povo tinha uma fé tão viva que fazia tudo que ele mandava até o material para construir próximo, areia do rio, os adobes de alvenaria que era feito do barro comum produzido no Catavento era todo trazido nas mãos e na cabeça. Ia tanta gente ajudar a trazer esse material para a igreja até o povo do interior ia que não cabia na estrada, barruando uns nos outros.”

MISSA DE ENCERRAMENTO DO FESTEJOS

5 modelações da catedral e suas marcas
Em meados de 1960, a Igreja já estava com suas paredes quase todas erguidas, a partir de então começou a mobilização para adquirir os materiais de ornamentação do templo (vitrais, luminárias, altares) e as portas do templo. É interessante ver como cada um destes objetos trazem consigo um significado ou mais de um.
Após o primeiro passo foram erguidas posteriormente as torres de 40 metros que conferem grandeza à Catedral e, posteriormente, foram feitos com enorme habilidade os acabamentos em estilo gótico, arquitetura que tem como características a verticalidade e riqueza de detalhes.

ALTAR CENTRAL DA CATEDRAL

 

 

A Catedral de Picos é grandiosa, construída no estilo gótico, possui 90 vitrais, seus dois altares laterais são de mármore Carrara e alguns detalhes foram feitos em metal dourado, vindos diretamente da Itália.
Nos vitrais dispostos nas naves laterais, na nave central e na parte superior, em cada um deles há uma imagem da história da vida de Jesus Cristo, como o encontro com os apóstolos e anjos, os momentos de oração, batismo no rio Jordão, a entrada na cidade de Nazaré acompanhado pelos seus pais Maria e José, o nascimento e visita dos reis magos entre outros. Esses Vitrais foram uma oferta do povo, a pedido do padre Madeira. Cada pessoa, família ou comunidade que ofertasse um vitral teria seu nome registrado nele para que fossem lembrados posteriormente

IMAGEM DA CATEDRAL
FOTO DA NAVE DA CATEDRAL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

6 Um novo que já existia 

Um fato curioso e que merece destaque é a moldura das portas da Igreja. Ao observá-las é nítida a semelhança com as portas da Igreja de São Benedito, localizada na capital piauiense, Teresina. Não por acaso as portas da igreja foram talhadas pela família Albano que trabalhava com carpintaria na época.

A planta da catedral segue o modelo básico adotado pela grande parte das catedrais góticas, obedecendo a um desenho de cruz latina. Na parte inferior da catedral estão localizadas as naves laterais e a nave principal. As torres ficam dispostas na base da nave, na fachada principal. Com projeto arquitetônico inspirado na Catedral de Petrolina (PE), a Catedral de Picos tem arcos construídos sem ferros ou estrutura metálica, que dão a impressão de grande profundidade. Assim como o sino, o relógio da igreja assume um papel de informante já que as pessoas costumam basear as horas por ele, pois o objeto está localizado em uma das torres da Igreja, o que facilita a sua visualização, por conta da altura em que está situado.

IMAGEM DA PONTE NOVA
IMAGEM DA AEROLÂNDIA

 

 

 

 

 

 

 

7 algumas curiosidades: crença ou realidade?

Várias são as histórias que envolvem a Catedral de Picos, uma delas foi quando as obras da nova igreja estavam em fase de conclusão, um dos pedreiros, conhecido como João Patiló, subiu em uma das cruzes localizadas no topo da torre e ficou em pé sem nenhum equipamento de segurança. Como naquele tempo as atenções estavam voltadas para a edificação da igreja, um grande número de pessoas acompanhou este acontecimento. Quando colocou a cruz na torre e acabou de chumbar. Ele (João Patiló) botou um pé do lado da cruz o outro pé do outro lado, equilibrou-se, subiu os braços e ficou solto. E o povo doido, doido, dizendo meu Deus aquele homem vai cair dalí e ele nem, não teve nenhuma reação, ficou lá firme o tempo que quis. Outro episódio, que também merece destaque é a história de um dos pedreiros, que caiu da altura do relógio e foi amparado por uma enorme camada de areia, o mesmo não sofreu nenhum ferimento e saiu andando normalmente, como se nada tivesse acontecido, naquilo que poderia ter sido um acidente fatal. Para o povo o fato foi um milagre, conta-se que no momento em que o pedreiro desabava, o padre Madeira saía da residência, onde era a casa do bispo, e rogou o nome de Nossa Senhora dos Remédios, a Santa teria intercedido e livrado o homem da morte.

Outro fato que desperta a atenção é que a igreja não possuía banco neste período (1940-1960), desta forma as famílias que tinha um poder aquisitivo maior mandavam confeccionar a sua cadeira com um local que continha um travesseiro para apoiar os joelhos.

Esta cadeira abria e fechava, e os seus donos colocavam o nome no objeto para demarcar a posse, já que ficavam dentro da igreja, as demais pessoas ficavam de pé. Por fim uma coisa é certa,

A Igreja Catedral é sempre bem visitada, além de um local de aprofundamento da fé, ela consiste não apenas em um templo religioso, mas um espaço para diversos fins e atividades. Devido ao estilo arquitetônico neo-gótico, a igreja também se destaca pelo seu potencial turístico, pois por duas vezes foi eleita por meio de votação popular pela internet a 2ª Maravilha do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

Reportagem feita pelo aluno de Jornalismo: Gustavo Dantas

Veja Também

Professor Júnior Vianna e a paixão pela história de Oeiras

Júnior Vianna: professor e escritor oeirense  “A gente não ama aquilo que não conhece”, com estas palavras o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *