Home / Artigos / OCUPA PCC: ESTUDANTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ FAZEM CALOURADA ALTERNATIVA

OCUPA PCC: ESTUDANTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ FAZEM CALOURADA ALTERNATIVA

Jovens dançando durante o evento

Muita Música, muitos Jovens e um pouco de revolta, tudo isso fez parte do movimento OCUPA PCC que ocorreu no Bairro Junco em Picos, aonde se encontra grande quantidade de estudantes de ensino superior, entre eles estudantes da UESPI (Universidade Estadual do Piauí), IFPI (Instituto Federal do Piauí), Faculdade R. Sá e UFPI (Universidade Federal do Piauí) que foram os responsáveis por transformar a praça do PCC em uma central de resistência, onde se fez juiz seu ao seu nome Praça da Cultura e Cidadania (PCC).

Unas da Alunas se apresentando

Na noite desta sexta-feira, 18 de março, foram realizadas duas calouradas. O primeiro evento, com taxa de entrada, foi planejado pelo Diretório Central dos Estudantes(DCE) da UFPI na Galeteria, localizado no Centro de Picos, com a presença de dois Djs. O Segundo acontecimento foi planejado por um grupo de alunos também da UFPI em parceria com o Centro Acadêmico de História (CAH), sendo alguns de seus integrantes membros do Centro Acadêmico de Pedagogia(CAP) como também alunos dos cursos de Administração, Letras e Biologia, além de outros que conseguiram realizar o evento totalmente gratuito.
De forma bem natural, mas com muita força, esse pequeno movimento tomava trazia com sigo um grande número de apoiadores, entre eles o sindicato dos professores da própria instituição, o cantor e músico Osvando Marinho Barros que ajudou na parte da estrutura de som, o vereador Wellington Dantas, também os várias alunos e artistas que foram exibir os seus talentos musicais.

Jovens durante a festa

Com um público inicialmente tímido, o evento começou e de pouco em pouco a pequena praça começava a se torna uma arena de show. Com o envolvimento de todas as partes da praça, de uma ponta a outra, era notório a presença de pessoas de todas as idades, gêneros, cursos e níveis sociais. O que importava era estar ali, no meio da multidão, estando solteiro, namorando, casado ou até mesmo ficando. Nem mesmo uma rápida chuvinha foi motivo para encerrar a alegria e satisfação daqueles jovens que estavam unidos com um propósito: mostrar a identidade da juventude estudantil da cidade de Picos.
Nesse movimento marcado pela insatisfação de um DCE que nem um pouco é representativo, buscava uma acessibilidade para os alunos que não tinha como pagar com os custos o qual um evento privado teria, como transporte e a própria entrada no evento, declara Igo Mendonça, 22 anos, que é estudante do curso de Pedagogia na UFPI como também Presidente do CAP e um dos organizadores do evento do Ocupa PCC destaca que “esse evento teve como intuído promover uma nova estratégia e uma outra alternativo de evento que vai de encontro com os anseios e com o poder aquisitivo de todos e todas, também destacar o movimento de resistência que se vem vivendo contra a elitização desses espaços (Evento da Calourada)”

Quadra da Praça da Cultura e Cidadania

O que não se pode dizer é que nada aconteceu. Diante do festival de inquietação de um grande grupo de jovens que deixaram de ir na Galeteria no centro da cidade, para ficarem na praça, que foi no passado sede de outras tão famosas calouradas, mesmo sendo um pouco tardia não deixa de ser necessário, afirma Igo Mendonça, com a presença de mais de 200 pessoas o evento deixou claro o que queria, sendo satisfatórios todos os pontos de avaliação sobre o evento.

 

Produzido por: Gustavo Dantas

Aluno do curso de Jornalismo da faculdade R.Sá

 

Veja Também

Conheça a história do jovem que cultiva uva no sertão do Piauí

Por Iranete Dantas Brasil a produção de vinho tem recebido destaque, a cada ano que ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *